Política

Prefeitura abre licitações para compra de caminhões e contratação de serviços de limpeza pública

A Prefeitura abriu duas licitações para reforçar a frota de veículos a serviço da Divisão de Limpeza Pública da SSM (Secretaria de Serviços Municipais) e que serão realizadas na primeira semana de abril, na modalidade de pregão presencial.

No dia 1º será realizada a licitação para contratação de serviços de coleta, separação, transporte e destinação final de resíduos (entulho) de construção civil, vegetal (galhos) e objetos volumosos inservíveis, como sofás, colchões, móveis e eletrodomésticos.

No dia 3 será realizado o pregão presencial para aquisição de quatro caminhões 0km equipados com coletor-compactador de lixo, cada um orçado em R$ 420 mil. Atualmente o serviço é realizado com sete caminhões de manhã e seis à tarde, incluindo quatro que são alugados. O número varia, dependendo se algum quebrar.

O investimento nessa compra está previsto no financiamento de R$ 10 milhões contratado junto à Caixa e que se destina também às obras de recuperação da Avenida Nico Lanzi, construção do prédio para o curso de Medicina da Faculdade Municipal “Professor Franco Montoro” e contratação de serviços de geoprocessamento.

A Divisão de Limpeza Pública retomou a coleta de galhos na segunda semana deste mês depois de o serviço ter sido interrompido no início de fevereiro até que a Elektro efetivasse a ligação de energia para a empresa que tritura o material e que até então dependia de gerador a diesel. Atualmente, são utilizados seis caminhões no serviço.

A retomada da coleta de resíduos de construção ocorrerá após a licitação para a contratação desse tipo de serviço e licenciamento de um novo local para o descarte, uma vez que as áreas que vinham sendo utilizadas já estão saturadas.

O recolhimento de outros tipos de entulhos, como móveis, sofás, eletrodomésticos e outros objetos volumosos que são destinados a reciclagem continua a ser feito, embora em menor ritmo, o que deve ser resolvido com a contratação do serviço.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Um Comentário

  1. Enquanto não recomeça o serviço de retirada de entulhos e outros objetos (que não é feito no mínimo desde de outubro e não fevereiro como citado), a prefeitura tinha a obrigação de notificar e autuar as residências com esses tipos de descarte, Mogi Guaçu é a cidade com mais casos confirmados de dengue na região, o que não é de se estranhar devido ao lixão a céu aberto que a cidade se encontra por culpa não somente da administração que deixa muito a desejar, mas também dos moradores que não tem o mínimo de bom senso e educação de no mínimo fazer o descarte responsável de materiais não mais utilizados. Multa nesse pessoal, a saúde dos cidadãos limpinhos agradece.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios