Política

Câmara derruba “VETO” e taxa de religação de água cobrada pelo SAMAE deve ser extinta

(Vídeo) Veja o resumo do que aconteceu na sessão de câmara desta semana

Na Sessão desta segunda-feira, 29, os Vereadores votaram seis itens que estavam na Ordem do Dia e um Projeto em regime de urgência, de autoria do Prefeito Municipal. Também receberam no plenário, mediante requerimento aprovado pelos Vereadores, as representantes do Conselho Municipal de Direitos da Mulher.

Projeto em regime de urgência

O Executivo Municipal enviou para a votação da Câmera, em regime de urgência, o Projeto de Lei nº107/2019 que dispõe sobre aumento do capital social da Proguaçu, Empresa Municipal de Desenvolvimento e Habitação de Mogi Guaçu. Conforme o documento, fica autorizado o aumento em até R$ 1.320.000,00 o capital social da empresa. O Projeto foi votado de forma nominal (sendo chamado cada Vereador para votar) e foi aprovado por 7 votos a favor e 3 contrários, com uma abstenção. A votação pode ser lida aqui, item 7.

Vetos

Foram votados três vetos do Prefeito a Projetos aprovados. A votação em caso de vetos visa decidir se a Câmara acolhe ou rejeita o veto. Caso acolha, o Projeto é arquivado e, caso rejeite, o Projeto segue para ser sancionado e se tornar Lei. A votação ocorreu de forma nominal, sendo chamados individualmente para apresentar posição favorável ao contrária a cada um dos três vetos.

O primeiro veto analisado foi ao Projeto de Lei nº04/2019, de autoria do Vereador Luciano Firmino Vieira, o Luciano da Saúde (PP). O Projeto Autoriza o Poder Executivo a reconhecer oficialmente no Município de Mogi Guaçu a Língua Brasileira de Sinais como língua de instrução e meio de comunicação da comunidade surda e prevê a presença de intérpretes em locais de atendimento ao público. O veto foi rejeitado pelos Vereadores e segue para se tornar Lei.

O segundo veto analisado foi ao Projeto de Lei nº24/2019 de autoria do Vereador Rodrigo Falsetti (PTB). O Projeto extingue a taxa de religação do serviço de água e esgoto. Os Vereadores rejeitaram o veto e, portanto, o Projeto segue para se tornar Lei.

O terceiro veto foi ao Projeto de Lei nº49/2019 de autoria do Vereador Luiz Carlos Nogueira, o Carlos Kapa (PSD). O Projeto dispõe sobre remessa à Câmara de relatório das atividades desenvolvidas em prol da defesa e proteção dos animais no município. O veto também foi rejeitado pelos Vereadores e segue para se tornar Lei.

Projetos

Foi votado o Projeto de Lei Complementar nº10/2019 de autoria do Executivo Municipal, que altera dispositivos que especifica das Leis Complementares nº141/1998 e nº435/2001, sobre a Estrutura de Administração da Faculdade Municipal Professor Franco Montoro. O Projeto foi aprovado em votação nominal por 8 votos a favor e 3 contrários.

Conselho dos Direitos da Mulher, no Plenário

A convite do Presidente da Câmara, o Vereador Rodrigo Falsetti, estiverem presentes no Plenário a Secretária e porta voz do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Samantha Lodi e a Presidente do Conselho, Lamira Oliveira. Elas expuseram e debateram com os Vereadores acerca de ações do Conselho no município.

Veja abaixo o vídeo com o resumo da sessão e a explicação do Presidente Rodrigo Falsetti (PTB) sobre o veto ao projeto que não pretendia extinguir a taxa de religação de água praticada pelo SAMAE.

Com informações: Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal de Mogi Guaçu

Mostrar mais

Artigos relacionados

Um Comentário

  1. VERGONHA PURA OBRIGAÇÃO É CUIDAR DA NOSSA ÁGUA E NOSSO RIO E PAGAR EM DIA SEUS DEVERES ASSIM COMO RECOLHER ESSE MONTE DE ENTULHO QUE DEIXA A NOSSA CIDADE HORRENDA EU NÃO VEJO JARDIM CAMARGO BELA VISTA PLANALTO VERDE COM ESSA SUJEIRA ISSO É COISA DE VOTAR PACIÊNCIA VEREADOR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios