Geral

Carreira e maternidade caminham lado a lado na International Paper

Iniciativas voltadas para as gestantes mostram o cuidado da empresa com suas profissionais

Por conta da celebração do Dia das Mães, o mês de maio traz consigo uma série de debates e reflexões sobre os desafios que as mulheres enfrentam para equilibrar a vida profissional e a pessoal. Viver a maternidade em toda sua plenitude nem sempre é uma tarefa simples, mas quando existe uma rede de apoio, incluindo o ambiente de trabalho, tudo fica mais fácil.

Priscila Zahn

Na International Paper, o ato de Cuidar está presente no dia a dia dos profissionais, o que traz segurança e tranquilidade na execução de tarefas e na gestão de pessoas. Isso não é diferente quando alguém da equipe anuncia uma gestação. “Nas duas gestações, eu me senti cuidada pela empresa e pelos meus colegas de trabalho, que estão sempre preocupados com o meu bem-estar e com a saúde do bebê. Esse acolhimento faz toda a diferença”, afirma Priscila Zahn, gerente de Excelência e Manufatura da unidade de Luiz Antônio.

Grávida da Bianca, com previsão de nascimento para junho, Priscila já é mãe de Artur, com quase três anos de idade. Há 11 anos na IP, ela afirma que o olhar e o cuidado com a profissional neste período foi evoluindo com o tempo. “Percebi diversas mudanças de postura e atitude de uma gestação para outra. Sinal de que o tema é latente dentro da empresa, que está sempre em busca de melhorias relacionadas aos Recursos Humanos”.

A IP tem hoje um programa de Diversidade & Inclusão, que promove iniciativas de educação e conscientização com foco em cinco frentes de atuação: Mulheres na Operação, Étnico-racial, Diversidade na Liderança, Pessoas com Deficiência (PcDs) e LGBTI+, e as gestantes estão contempladas neste contexto.

“Temos a cartilha Filhos e Filhas a bordo, que reúne informações importantes sobre os direitos e benefícios neste período. Ela ajuda a futura mamãe a desfrutar deste momento com mais tranquilidade, seja durante a gestação, adoção ou barriga solidária, sem distinção de tipos de relacionamento mantidos ou identidade de gênero”, comenta Vitor Benossi, gerente do Centro de Expertise em Talentos e Diversidade & Inclusão. Em 2020, a empresa também criou salas de apoio à amamentação nas unidades de Três Lagoas e Mogi Guaçu.

Consultora de Remuneração e Benefícios da IP, Aline Claro voltou da licença maternidade há poucos meses e sentiu uma maior flexibilidade por parte da liderança. “Desde o começo tive o apoio da minha gestora e de toda a equipe. Esse carinho e cuidado me deixaram tranquila e certa de que estou no melhor lugar”, compartilha Aline. “O retorno foi um desafio, já que a Lorena era muito apegada a mim. Mas aos poucos e com o apoio da empresa, tudo foi se encaixando”.

Uma das metas da IP (Visão 2030) é promover o bem-estar dos profissionais, proporcionando ambientes de trabalho ainda mais seguros, cuidadosos e inclusivos, e melhorar o desenvolvimento socioeconômico das comunidades das quais faz parte. Dentre os objetivos está atingir a marca de 30% de representação geral de mulheres no quadro de profissionais e 50% de mulheres em posições administrativas.

Sirlei Bibo é um bom exemplo de profissional que a IP quer atrair cada vez mais: mulher, mãe e operadora de Embalagem de Bobina. “Estou há 10 anos na IP e sinto segurança e tranquilidade em trabalhar na operação. Por ser uma área com mais homens do que mulheres, sinto que o cuidado é ainda maior”, ressalta Bibo.

De acordo com Suzana Kaneco, gerente geral da unidade de Três Lagoas, a empresa concluiu em 2020 o programa piloto de mentoria para Mulheres na Operação, direcionado para as profissionais que atuam diretamente na linha de produção, com objetivo de dar suporte ao desenvolvimento de suas carreiras. Como o programa piloto foi um sucesso, continuaremos em 2021 com uma nova turma, com encontros mensais para que sejam compartilhadas as dúvidas, desafios e direcionamentos”, comenta.

Fernanda Galamba

Para Fernanda Galamba, gerente de Suprimentos da IP, estar grávida nunca foi um impeditivo para nada, muito pelo contrário. Segundo a executiva, a experiência da maternidade trouxe uma maturidade que a beneficiou tanto no trabalho quanto em casa. “Entender os meus limites, dosar as cobranças e exercer a paciência são aprendizados que vieram com a maternidade e que eu levei para a vida”, afirma Galamba.

Grávida da terceira menina, Fernanda, que é engenheira de produção, lidera uma equipe de 75 pessoas. Foi promovida recentemente – já grávida – e precisou buscar um equilíbrio durante a pandemia para dar conta de tudo. “Nunca questionei abrir mão da minha carreira pela vida pessoal e vice-versa. E essa tranquilidade tem muito a ver com o propósito da IP de cuidar de seus profissionais e tornar as relações cada vez mais humanizadas”.

“A IP quer contribuir para que as profissionais mulheres, que desejam engravidar, tenham a melhor experiência possível nessa jornada. Incentivamos a liderança a ter muita empatia neste momento, com mensagens e atitudes de apoio e cuidado com elas”, destaca Benossi.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.