Cidade

Obras de reforma e ampliação das ETAs I e II começam segunda-feira (03)

Foi expedida nesta quarta-feira, dia 29, a ordem de serviço para o início das obras de reforma e ampliação das ETAs (Estação de Tratamento de Água) I e II do Bela Vista. Serão investidos pouco mais de R$ 6 milhões, com recursos da União a fundo perdido, com contrapartida do SAMAE (Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto).

O diretor de obras e serviços da DT Engenharia, Procópio Gomes de Oliveira Netto, empresa de Barueri, vencedora do processo licitatório, se reuniu nesta quarta-feira com o presidente do SAMAE, Elias Fernandes de Carvalho, e engenheiros da autarquia.

Foram traçadas as diretrizes da obra, que compreende na reforma de todo o sistema de tratamento de água e na implantação do sistema de arraste de lodo, que hoje é feito por lavagem dos decantadores.

A obra total – incluindo com a construção da nova adutora – custará R$ 6.658.170,21, com recursos da União a fundo perdido e contrapartida de 47,3% da autarquia. Os serviços começam na próxima semana, com previsão de término em até 12 meses.

Ao ser concluída, a capacidade de água tratada subirá para 720 litros por segundo. A expectativa é que, com a construção da ETA III, Mogi Guaçu irá tratar um metro cúbico de água por segundo, o que garante o abastecimento para as próximas décadas.

A ETA III será construída em até 18 meses, pela empresa Arion Engenharia. O custo para a construção da ETA III será de R$ 5,1 milhões, com recursos do próprio SAMAE. A nova estação terá capacidade para tratar mais de 200 metros cúbicos de água por segundo.

A ETA I do Jardim Bela Vista foi inaugurada em 1969, na gestão do então prefeito Antonio Giovani Lanzi. A ETA II, anexa à ETA I, foi construída na segunda gestão do prefeito Walter Caveanha (1989-1992). O sistema atual abastece 29 reservatórios do SAMAE. Todos esses reservatórios, em plena capacidade, armazenam 18.750 metros cúbicos.

A captação da água bruta processada nas ETAs I e II é realizada no Rio Mogi Guaçu na represa da PCH (Pequena Central Hidrelétrica) da AES Tietê, na Cachoeira de Cima, o suficiente para abastecer toda a cidade sem risco algum de racionamento – até mesmo em época de estiagem.

Na atual administração, o SAMAE já construiu uma nova adutora de água bruta e duas novas subadutoras para melhor a distribuição. Também implantou a nova adutora da zona Norte, que ampliará o abastecimento para mais de 10 bairros da região e distritos industriais.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios