.
Geral

QUANTO PRECISO DAR DE ENTRADA PARA FINANCIAR UM APARTAMENTO EM CAMPINAS?

Saiba qual o valor necessário de entrada, que deve ser financiado, para que seja possível comprar seu apartamento.

Se por um lado estamos vivendo momentos difíceis, por outro é preciso admitir que a fase para conquistar o próprio apartamento não poderia ser mais favorável. Claro que por se tratar de uma venda com valor alto, é preciso muito cuidado e planejamento para não comprometer suas finanças e seu orçamento mensal, mas é preciso aproveitar as taxas de juros – que são as mais baixas da história -, além da grande oferta de imóveis com preços atrativos para a compra. Se você está buscando por apartamento em Campinas, mesmo que seja uma kitnet, a hora é agora. E para lhe ajudar a entender como funciona a parcela de entrada para financiar seu imóvel, nós preparamos um guia completo com todos os detalhes, confira a seguir.

QUAL O VALOR NECESSÁRIO PARA DAR ENTRADA NO FINANCIAMENTO: Em boa parte dos negócios imobiliários, conquistar seu apartamento próprio ou kitnet, através de financiamento bancário, varia de acordo com o dinheiro que pode oferecer de entrada que, consequentemente, está ligado a dois fatores principais: a composição total da renda familiar e o valor do imóvel. 

A maioria das pessoas que tem o valor da parcela de entrada – já que este é mais fácil de se obter que o valor total -, escolhe por fazer o financiamento. Esta opção é ótima, dada a condição dos juros baixos, mas é importante alerta em relação ao “preço”.

Na hora da compra, é preciso ofertar ao menos 30% do valor total do apartamento como parcela de entrada, lembrando que as outras prestações não devem ser maiores do que 30% do valor da renda mensal familiar.

Ou seja, se seu objetivo é comprar um apartamento ou kitnet que custe R$ 185 mil, é preciso que você tenha, no mínimo, 30% deste valor – R$ 55.5 mil – para pagar à vista e conseguir parcelar o restante.

CALCULANDO O VALOR DA ENTRADA: Para que seja possível compreender de maneira mais clara como é feito o calculo para o valor de entrada do financiamento, é preciso fazer uma simulação. Levando em conta o valor indicado no tópico anterior, suponha que o comprador tenha 32 anos de idade, e que a renda mensal de sua família é de R$ 2600.00. Este comprador escolheu fazer um financiamento que oferece uma taxa de juros de 5.11% por ano, o valor pago na entrada deve ser de aproximadamente R$ 76 mil, e as prestações seriam em torno de R$ 789.99.

Neste caso, o montante requerido na entrada do apartamento ou kitnet aumentou pois foi preciso diminuir o valor das parcelas, de acordo com os 30% da renda familiar, deu pra entender?

DE ONDE VEM O VALOR DA PARCELA DE ENTRADA:

Se você está procurando por um apartamento para vender, e quer financiar o valor do imóvel, mas ainda não sabe como conseguir o dinheiro para a parcela de entrada, confira abaixo algumas soluções que podem ajudar a alcançar o montante necessário:

FGTS: O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço – FTGS –  oferece o saldo da sua conta, para que seja possível realizar o pagamento da parcela de entrada do seu apartamento ou kitnet em questão, mas para isso é preciso ir até uma agência da Caixa Econômica Federal, com todos os seus documentos em mãos – RG, CPF e Carteira de Trabalho e perguntar ao responsável pelo atendimento, se existe a possibilidade deste saque para quitar a prestação de entrada do seu imóvel, e se sua situação com a instituição cumpre os itens, que são:

Ter trabalhado com carteira assinada, por pelo menos 3 anos sequentes, na mesma ou em outras empresas;

Não possuir nenhum tipo de financiamento em aberto no Sistema Financeiro de Habitação;

Não ter realizado saques de FGTS, para que possa ser utilizado para financiar o imóvel, pelos últimos 3 anos;

Não possuir nenhum imóvel ou terreno, no município onde você mora e trabalha, em seu nome.

FINANCIAMENTO DA PARCELA DE ENTRADA:  Muitas empresas do ramo de construção civil, também oferecem o parcelamento da entrada para a aquisição de um apartamento para vender na planta, por exemplo. O valor pode ser pago em até 36 meses – período máximo do tempo de espera para a entrega das chaves de um imóvel -. Mas é importante que você esteja atento aos outros custos que vem embutidos neste “saldo”, taxas e documentação pedidas em cartório, seguros, Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), além das certidões do local.

POUPANÇA: A poupança pode ser uma boa saída para conseguir pagar o valor da parcela de entrada, e ter em mente que quantos antes você investir em uma conta poupança, maior será o valor disponível em sua conta. Economize, corte gastos e estipule um valor mensal para ser guardado, pensando que este já é uma prestação do seu financiamento. Assim que atingir R$ 10 mil, procure investir 50% deste dinheiro no Tesouro Direto – ou CDBs – através de uma corretora, desta forma seus juros irão render mais em menos tempo.

DÁ TRABALHO, MAS VALE À PENA: Como dissemos no início deste artigo, estamos passando por uma fase monetária favorável para quem busca investir no imóvel próprio, por isso, se tiver a oportunidade de comprar o seu apartamento ou kitnet, não perca tempo e avalie a situação para que seja possível fazer o melhor negócio para você.

Se ficou alguma dúvida em relação ao financiamento, basta deixa-la aqui embaixo, nos comentários, e se você quiser saber mais novidades, siga nossos perfis nas redes sociais.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios