Polícia

Empresário envazava óleo de segunda e vendia como de primeira; foi detido pela GCM

Crime Ambiental

Na noite da última segunda-feira (05), Os GCMs Ednaldo e Sérgio patrulhavam o Bairro Rural Chácaras Alvorada em vistas a ladrões que haviam cometido um roubo na região, quando em um local chamado Recanto São Judas Tadeu se depararam com um barracão com centenas de tambores e galões, os GCMs desconfiaram que o local estava sendo usado para manuseio de óleo mineral e sintético de forma ilegal. O proprietário negou a entrada para averiguação.

Diante dos fatos, os GCMs solicitaram apoio do Delegado da Central de Polícia Judiciária Dr. Alessandro, o qual se prontificou a pedir um mandado judicial para averiguar o local. Como o mandato só seria emitido na manhã desta terça (06), com apoio dos GCMs Maciel e Gonçalves, eles passaram a noite vigiando o local, no entanto, com a presença de uma advogado, o proprietário do local chegou pela manhã e permitiu a entrada dos GCMs.

No local, o proprietário do imóvel, empresário que tem um comércio em Mogi Mirim alegou que adulterava data de validade de óleo de câmbios e hidráulicos e também falsificava galões e adesivos de grandes empresas do ramo, como Ipiranga e Petrobrás, o qual adquiria óleo de qualidades inferiores e revendia para diversos empresas e comércios da região, inclusive prefeituras.

Na Central de Polícia Judiciária, o proprietário foi autuado a principio por Crime Ambiental, já que o mesmo não possui autorização da CETESB para manusear e acondicionar óleo mineral e sintético na sua propriedade pela Chácaras Alvorada.

A Polícia Civil vai abrir inquérito e apurar a questão dos crimes envolvidos na ocorrência.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios