.
Política

Daniel Rossi pode sofrer golpe acachapante com impugnação do seu vice Dr. Dênis

A acusação contra ele é de que teria omitido que mora em mansão no Morro Vermelho em Mogi Mirim, o que se for comprovado, é proibido pelas regras eleitorais

O candidato a vice-prefeito Dênis Camilo de Carvalho é alvo de uma ação de impugnação movida pelo advogado Alberto Luís Mendonça Rollo, de São Paulo, segundo reportagem deste sábado, 3, do jornal Gazeta Guaçuana

Dr. Dênis é vice na chapa com o candidato a prefeito Daniel Rossi pela Coligação “Avançar com Experiência”, formada pelos partidos PL, PSL, PCdoB, PTB, MDB e PSB. A Gazeta teve acesso ao documento movido pelo advogado. O autor é o servidor público municipal Sullyvan Cristo de Faria, que é candidato a vereador pelo partido Solidariedade.

Em resumo, segundo a reportagem, Dênis reside em Mogi Mirim, no condomínio de alto padrão Morro Vermelho, e ainda omite informações na declaração de bens. Dr. Dênis informou que o local de trabalho é Estiva Gerbi.

Além disso, segundo a Gazeta Guaçuana, o advogado afirma que “o título de propriedade retratado pela matrícula 43.075 do Cartório de Registro de Imóveis de Mogi Mirim, que aponta como endereço um lote de terreno no Condomínio Morro Vermelho, hoje já edificado, é de conhecimento público que o impugnado reside lá”.

O imóvel onde ele reside com a secretária municipal de Saúde, Clara Alice Carvalho, não consta na declaração de bens entregue à Justiça Eleitoral. “Isso caracteriza grave omissão na declaração de bens prestada à Justiça Eleitoral”, ressaltou Rollo. Dr. Denis declarou o valor de R$ R$ 2.384.054,7, cita a reportagem.

“Há evidências de que o impugnado apresentou à Justiça Eleitoral falso endereço residencial, uma vez que de fato reside em Mogi Mirim”, citou o advogado, em destaque na reportagem da Gazeta.

“O impugnado reside em Mogi Mirim e trabalha em Estiva Gerbi”, ressaltou.

“Jurisprudência já definiu o domicílio eleitoral como sendo aquele onde o candidato possui vínculo social, familiar ou profissional e sua prova se dá com a inscrição eleitoral. Contudo, solicitar a inscrição sem a existência dos vínculos destacados, configura fraude e crime eleitoral”.

“Há provas de que o imóvel em que o impugnado reside fica em Mogi Mirim. Assim, é evidente a má-fé do impugnado no sentido de apresentar à Justiça Eleitoral falsa declaração com a finalidade de atender interesses próprios consistentes em concorrer ao próximo pleito”, completa o advogado em outro trecho da reportagem.

A Gazeta Guaçuana informa que não conseguiu contato com o candidato a vice-prefeito, mas os advogados da Coligação Carlos Jorge Osti Pacobello e Antonio Custódio da Silva informaram que vão analisar o pedido e apresentar defesa no prazo legal. O Portal da Cidade Mogi Guaçu abre espaço para a coligação se manifestar a respeito desta ação contra o candidato a vice Dr. Dênis.

Fonte: Portal da Cidade Mogi Guaçu

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Um Comentário

  1. Povo deveria abrir os olhos e não eleger mais dos mesmos, a cidade em alguns pontos parece que está largada, ruas horríveis de se transitar, asfalto em alguns lugares não existe, e para estar no estado em que se encontra… só tem um motivo.. falta de manutenção, corredor pra ônibus? Nem em Sorocaba que é uma cidade muito maior que Mogi Guaçu tem direito, só em grandes avenidas, não em bairros afastados do centro,mas enfim…espero que não sejam eleitos os mesmos de sempre a cidade não merece

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios